Marketing de Conteúdo

O que é mesmo engajamento?

Engajamento é envolvimento, interação, relacionamento com a marca, que vai além do número de seguidores em uma rede social ou likes em uma postagem.

Brian Haven, da consultoria, Forrester escreveu uma definição do que seriam alguns medidores de sentimentos:

Envolvimento – pode ser mensurado através das métricas comuns, como número de visitas ao site, tempo gasto por página, número de páginas vistas.

Interação – comentários, pedidos de informações, discussões em fóruns, ações que caracterizam iniciativa do usuário em entrar em contato com a marca.

Intimidade – medidor que busca saber o afeto de uma pessoa por uma marca. Opinião, perspectiva, quais os sentimentos registrados em suas palavras dirigidas à empresa através do atendimento e mídias sociais. Pode ser medido através de ferramentas de monitoramento, mas somente no caso dos clientes que interagem. É pouco preciso, mas fornece uma noção do que o consumidor sente.

Influência – probabilidade de a pessoa fazer uma compra/conversão e influenciar seu grupo de contato a fazer isso.

Mas como criar engajamento?

engajamentosocialmidiaConteúdo de qualidade sempre pode atrair seguidores, através de qualquer canal. Mas no caso das marcas, não é só isso.

– As pessoas precisam ver o que você está divulgando. Isso será bem sucedido com um bom trabalho de distribuição;

– Como é o posicionamento da sua marca. É o mesmo desse conteúdo ou não tem nada a ver? Se for muito diferente as pessoas terão dificuldade de fazer a associação com a marca e não vai ajudar em nada. Isso deve estar refletido no tom, na linguagem e nas imagens nas redes.

– Como é o seu atendimento. É preciso continuar o trabalho dando atenção às pessoas, respondendo comentários, indicando soluções, participando de fóruns, estando aberto.

 

Compra de ‘likes’

Com o crescimento da importância e do tamanho das redes sociais, muitas marcas tem entrado nesses canais para aproveitar a onda de interação dos usuários.

Com esse aumento, também vieram alguns equívocos, como acreditar que o número de fãs é uma métrica para medir o sucesso de uma marca na rede. Foi assim no início do boom das redes sociais, quando não se tinha parâmetros para entender o envolvimento do usuário. Mas atualmente o número de seguidores ou fãs de um perfil de marca é apenas mais uma das métricas e um número para dar certo “respeito” para a marca, mas não quer dizer nada em termos de relacionamento, conversões, etc.

Atrair pessoas é muito bom, mas se não levar resultado, não faz muita diferença. A maior prova são os posts do tipo “curte X compartilha”, que podem até alcançar bons números, mas não atraem nem novos fãs para a marca e no final perdem o sentido.

Um reflexo desse equívoco é a compra de likes no Facebook. Existem muitas pessoas e empresas oferecendo esse serviço à margem das próprias campanhas no Facebook, muitas vezes a preços irrisórios, como 50 reais por 1000 likes.

Mesmo as campanhas para adquirir seguidores no Facebook não são rentáveis se não forem acompanhadas de bom conteúdo e estratégia de conversão, imagine as curtidas “falsas”? Esses serviços vendem likes de perfis falsos, de robots ou pessoas pagas para curtir uma marca. Isso significa que esses novos ‘seguidores’, mesmo que sejam pessoas reais, não possuem nenhuma afinidade com a marca, não vão gerar nenhum tipo de engajamento, nenhuma conversão e nenhum resultado para a empresa. Então mesmo barato, por que pagar por isso? Melhor usar em campanhas de responsabilidade social e obter o retorno positivo disso na imagem da empresa…

É fácil fazer um usuário clicar em curtir, o difícil é fazê-lo confiar na marca e comprar sempre seus produtos.

Não tem milagre. É oferecer um conteúdo que atraia o público alvo da marca – vale fazer sim patrocínio desse conteúdo em campanhas segmentadas por público para atingir mais pessoas – divulgação nos canais certos e sempre testando horários diferentes, estratégias diferentes, boa qualidade nas imagens, ganchos, hypes, etc.

As campanhas começam atraindo visibilidade e só um bom conteúdo – para aquele grupo de pessoas que é o seu público alvo, falar em “bom conteúdo” de forma isolada é muito superficial, só um estudo do público pode dizer o que é relevante para essas pessoas – é capaz de gerar engajamento, que é capaz de gerar conversões.

E por falar em engajamento real, o Burger King da Noruega surpreendeu com uma das ações mais ousadas de mídias sociais. A marca fez uma proposta aos fãs no Facebook para saber quem eram os fãs fiéis. A rede ofereceu um voucher com um lanche de graça do principal concorrente, o MacDonald’s, e quem aceitasse seria banido da página oficial do Burger King. E o resultado?

A página perdeu 30 mil fãs, ficando apenas com 8mil fãs. Segundo a empresa, foi muito mais vantajoso ficar com os fãs que interagem e são engajados do que com um número muito grande de fãs que não interage.

Segundo a empresa, o engajamento aumentou 5 vezes.

Considerando isso, será que é o número de likes que importa?

 


Receba nosso melhor conteúdo no seu e-mail! | Inscreva-se:

x

Webinário exclusivo sobre Marketing Digital

Como criar uma Estratégia de Marketing Digital na prática